O Brasil conquistou na noite de ontem (1°/9) seu 21º título Sul-Americano. Em um duelo contra a seleção colombiana, medalha de prata no Pan Americano de Lima, a seleção brasileira venceu por 3 sets a zero e ficou com o ouro. Outro destaque da competição ficou por conta das atletas que compuseram a seleção do campeonato.

Maria Alejandra, levantadora que defende o Curitiba Vôlei, foi premiada como a melhor atleta da posição. Foto: Federação Colombiana de Voleibol – FCV 

Maria Alejandra, levantadora que defende o Curitiba Vôlei, foi premiada como a melhor atleta da posição. “Assim como no Pan, é uma alegria imensa fazer parte de conquistas com a seleção colombiana. Isso dá ainda mais vontade de continuar trabalhar forte. O foco agora é na Superliga e no trabalho com o meu novo time. Estou empolgada”, conta. 

A coordenadora do Curitiba Vôlei, Gisele Miró, está confiante  com o talento da jogadora. “A Maria Alejandra é uma peça essencial para o nosso elenco e, com o retorno dela e a chegada da americana Claire, teremos uma preparação ainda mais forte para a Superliga”, explica. 

Além de Maria Alejandra, foram premiadas as jogadoras Lorenne (Brasil), Amanda Coneo (Colômbia), Karla Ortiz (Peru), Mara (Brasil), Bia (Brasil), Juliana Toro (Colômbia) e Sol Piccolo (Argentina). 

Sobre o Curitiba Vôlei

Idealizado pela ex-tenista Gisele Miró, o Projeto do Curitiba Vôlei já conquistou dois vice-campeonatos, sendo um na Superliga B e outro na Taça Ouro. Já em 2018, a equipe fez história com a conquista do título da Superliga B e a garantia de uma vaga na elite do voleibol brasileiro, disputando a Superliga Brasileira de Voleibol Feminino e alcançando os playoffs da competição. Em parceria com a Universidade Positivo, o time adotou a capital paranaense como sua casa e traz de volta o vôlei ao cenário do esporte curitibano.