Prefeitura de SJP realiza a exposição “#doeumaflor” de Katia Velo

Em suas exposições, a marca da artista Katia Velo é o uso dos motivos florais, das formas curvilíneas e orgânicas com forte apelo ornamental.

Foto: Itamar Velo

A Prefeitura de São José dos Pinhais, por meio de sua Secretaria de Cultura, e com o apoio da Infraero, realiza, dia 04 de setembro, às 10h, a abertura de mais uma edição do Projeto “Asas da Arte”, este mês com a participação da artista visual, colunista cultural, diretora da APAP/PR e professora de arte Katia Velo. A artista apresentará alguns trabalhos inéditos feitos especialmente para a exposição. A exposição faz parte da Campanha #doeumaflor que neste ano entrará em sua 4ª. Edição.

Em suas exposições, a marca da artista Katia Velo é o uso dos motivos florais, das formas curvilíneas e orgânicas com forte apelo ornamental. Vários artistas a influenciam, Matisse, Aldemir Martins, Beatriz Milhazes, Frida Kahlo.  A identificação com Frida ocorre também, pois nasceram no mesmo dia, 06 de julho. Frida amava flores, tanto que disse: “Pinto as flores, assim elas não morrem”. A Arte islâmica como a arte bizantina e chinesa também são representativas em suas obras pelo uso dos arabescos e rococós.  A artista usa cores fortes e vibrantes por meio de gestos expressivos. A artista define sua obra como um devaneio, um trabalho hedonista, em busca do prazer estético. A alegria e o ritmo conduzem seu pincel. As cores e flores são suas inspirações. “As flores exercem em mim uma profunda inspiração. Sinto que as flores e eu formamos uma simbiose”, declara a artista.

SERVIÇO:
Local: Aeroporto Internacional Afonso Pena
Abertura da exposição: Dia 04 de setembro, às 10h
Período de exposição: De 04 a 30 de setembro.
Horário visitação: Diariamente das 0h às 24h
Endereço: Rua Rocha Pombo, s/no.
São José dos Pinhais/PR
Informações: 41 3381-5909
ENTRADA FRANCA
www.sjp.pr.gov.br

Maiores informações: 

​Sobre Katia Velo
Natural de São Paulo, Capital, nascida em 1966. Professora de arte, colunista, fotógrafa, consultora cultural, artista plástica, ensaísta e palestrante.  Especialista em História da Arte Moderna e Contemporânea pela EMBAP (2007); realizou cursos de Especialização em Educação pela USP (1992-1994); bacharelada e Licenciada em Letras – Faculdade Anhembi/Morumbi – SP (1991). Possui em seu currículo, mais de 15 exposições individuais e 150 coletivas, além de premiações em Salões de Arte. Criadora e idealizadora do Projeto #doeumaflor (4ª. Edição). Participou por quase dez anos do grupo CACEV – Centro de Arte Contemporânea Edilson Viriato. Expôs na Argentina, Alemanha, Áustria, Estados Unidos, Espanha, França e Polônia. Desde 2007 é diretora de Comunicação da APAP/PR. Exerceu na Secretaria Municipal de Cultura de São José dos Pinhais os cargos de chefia na divisão de música, literatura e artes plásticas e atuou como assessora e curadora, respectivamente em 2004 e 2013. Desde 2014 assina coluna na “Folha da Mulher”. Há treze anos assina a coluna virtual cultural www.katiavelo.com.br. Por sua atuação tem recebido premiações e homenagens.

Sobre a Campanha #doeumaflor
A Campanha #doeumaflor tem o objetivo de resgatar a admiração pelas flores e também motivar as pessoas a “polinizarem” boas ações, por isto, o tema  deste ano é “Vamos florescer”. Num mundo cada vez mais introspectivo, onde vivemos conectados a aparelhos elétricos e eletrônicos o tempo todo, acabamos desconectados da Mãe Natureza. É preciso perceber nossos instintos e deixar fluir nossas emoções.  A primavera tem um efeito transformador na natureza e nos animais. Nos também passamos por um processo de renovação, revigoramento e rejuvenescimento. Precisamos resgatar o amor pelas flores e pela natureza. Participar é simples. Basta vestir-se, fotografar, curtir, comentar e compartilhar nas suas redes sociais situações alusivas à primavera, usando hashtag #doeumaflor.  A campanha quer unir a todos pelo amor, representado por meio de um gesto, doar uma flor, metaforicamente, representa doar carinho e respeito, aos outros e a si mesmo. “Me perguntas por que compro arroz e flores? Compro arroz para viver e flores para ter algo pelo que viver”. (Confúcio).

Publicidade