Divulgação Após queda na indústria do patrocínio esportivo, agências formam...

Após queda na indústria do patrocínio esportivo, agências formam consórcio para captar recursos

-

Um levantamento da consultoria americana Two Circles, publicado em maio deste ano, apontou que que a indústria do patrocínio esportivo terá queda de U$ 17,2 bilhões em 2020, devido à pandemia de coronavírus.

O estudo afirma que, em 2019, o setor movimentou U$ 46,1 bilhões em todo o mundo e em 2020 o investimento não deve ultrapassar U$ 28,9 bilhões, uma queda de 37% em relação ao ano anterior.

“Com o esporte ao vivo interrompido globalmente desde março, o valor que as propriedades esportivas conseguiram oferecer às marcas parceiras foi limitado. Houve cortes de custos em setores que investem fortemente em patrocínios, apresentando também um desafio significativo na assinatura de novos negócios”, disse Gareth Balch, executivo-chefe da Two Circles.

No Brasil, os especialistas em marketing esportivo preveem perdas volumosas de patrocínio, tendo em vista a queda no faturamento das principais empresas patrocinadoras. A recessão de setores como as indústrias financeira, automotiva, energia, varejo e companhias aéreas representa o principal fator do déficit. Contudo, com a retomada gradual dos eventos esportivos, o mercado deverá voltar a crescer.

Agências formam consórcio e projetam captar R$ 5 milhões em 2020

Com o objetivo de captar recursos para projetos esportivos, as agências Nosso Time, Meiuca Esportes e NS Consulting uniram forças e criaram o Esporte Paraná, um consórcio de projetos habilitados pela Lei de Incentivo ao Esporte, com execução prevista a partir de janeiro de 2021. Para este ano, o consórcio espera captar mais de R$ 5 milhões em patrocínio esportivo. É o que afirma Marcelo Gomes, diretor da Nosso Time.

“Há mais de 20 anos atuando na área esportiva, nunca vivemos tantas incertezas. A pandemia causou um enorme buraco na economia mundial, influenciando de forma negativa o mercado de patrocínios. Para tentar minimizar estes efeitos, unimos forças e fizemos um pente-fino em todos os projetos incentivados do Paraná, chegando à conclusão de que, mais do que nunca, os proponentes precisam de iniciativas como a nossa para viabilizar as suas entregas. No total, são mais de R$ 5 milhões a serem captados. Por isso formamos essa coalizão, com o objetivo de usar a nossa expertise para manter vivo o esporte no país em um momento de tanta dificuldade para o setor”, afirma Marcelo.

O patrocínio é uma das estratégias mais eficazes que as empresas podem implantar para ampliar o relacionamento e construir valor junto ao público. Para Roberto Miller da NS Consulting, chegou a hora do marketing esportivo assumir o seu papel de protagonista.

“O esporte mexe com a paixão das pessoas e o patrocínio é uma das estratégias mais eficazes para ampliar o relacionamento e construir valor junto ao público. As marcas que entendem a importância disso, obtêm mais retorno quando o comprador sabe que determinada empresa patrocina um evento ou um atleta. Essa é a hora do marketing esportivo ocupar um lugar de protagonismo no mercado brasileiro. Quando tudo voltar ao normal, haverá um significativo aumento na demanda por produtos e serviços esportivos e quem já estiver surfando essa onda, certamente vai sair na frente”, explica.

A ampliação do investimento em patrocínio esportivo passa também, em grande parte, pela tecnologia e inovação. Métodos antigos de captação de recursos e gerenciamento de projetos estão sendo substituídos por novas perspectivas, onde as habilidades comportamentais, a flexibilidade nas negociações e a criatividade nas ativações de marketing serão o fiel da balança. Este é o entendimento de Diego Pereira, CEO da Meiuca Esportes.

“Apenas colocar o logotipo de uma empresa no uniforme de um time não funciona mais. A ideia é aproximar consumidores e marcas, tendo o patrocínio esportivo como o grande agente transformador dessa cadeia, beneficiando todos os envolvidos. Para isso, patrocinador e patrocinado precisam compreender as mudanças que estamos vivendo. Além de ajudar atletas, clubes e eventos esportivos, o nosso trabalho trará uma perspectiva mais positiva aos números do patrocínio esportivo no Brasil”, afirma.

Ainda segundo Pereira, as lições aprendidas com a pandemia trarão uma base sólida para o futuro do patrocínio esportivo. “A inovação virou palavra de ordem e continuará sendo por longo tempo. Neste sentido, a união das nossas empresas trará oportunidades para quem busca patrocínio esportivo e para as marcas que vão patrocinar. O nosso grande diferencial está na geração de valor de quem consegue fazer muito com pouco, adotando uma postura muito profissional no que se refere à responsabilidade social visando o bem-estar de toda a população”, finaliza.

SERVIÇO

Consórcio Esporte Paraná | Lei de Incentivo ao Esporte

Patrocínio Esportivo & Captação de Recursos

Agências: Nosso Time, Meiuca Esportes e NS Consulting.

Últimas publicações

Kart: Vice-campeão Paranaense de Kart, Alfredinho Ibiapina foca agora no Brasileiro

No último sábado (19/09), o piloto Alfredinho Ibiapina (Orcali), foi um dos destaques da categoria Júnior Menor,...

Coritiba bate o Vasco e se reabilita no Brasileirão

Jogando em casa o Coritiba voltou a vencer no Campeonato Brasileiro. Em confronto pela 11 rodada o...

Alfredinho Ibiapina disputa o Paranaense “em casa”

Vindo de quatro finais de semana consecutivas de provas em São Paulo e Santa Catarina, Alfredinho Ibiapina...

Athletico vira e vence Jorge Wilstermann-BOL pela Libertadores

O Athletico Paranaense entrou em campo pela terceira rodada da fase de grupos da Taça Libertadores da...

Pintora pioneira de Curitiba é lembrada no Ônibus Museu na Quarentena

Pioneira em diversas áreas e uma mulher à frente do seu tempo, a pintora Caroline Tamplin tem...

Segue o líder!

Pela décima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro o Paraná Clube entrou em campo para enfrentar...

Mais destaques do esporte

Você também pode gostarRelacionadas
Recomendado para você

Fale conosco